Nova Zelândia

Como é dividir casa na Nova Zelândia?

Na Nova Zelândia é muito comum ter flatmates (colegas de casa ou quarto). Essa opção é a mais barata se você pretende passar um tempo no país estudando ou trabalhando. O melhor site para procurar flamates é o Trade Me, que é basicamente o ebay da Nova Zelândia. Você pode comprar e trocar de tudo por lá e encontrar empregos também. Geralmente o primeiro contato com os moradores é feito por e-mail ou celular. É super importante dar uma olhada na casa e nos quartos, conversar com os flatmates para ter uma ideia de quem eles são antes de mudar.

Morar com desconhecidos pode parecer meio estranho no começo. Desde que cheguei aqui, em abril de 2016, morei em três lugares e recentemente me mudei de novo para uma casa que já tinha morado. Demorei para me sentir completamente a vontade em cada lugar. Até conhecer as pessoas e me familiarizar com a casa levou um tempinho e muitas vezes eu arranjava qualquer desculpa para não sair do quarto hahaha Com o tempo, fui me acostumando e agora não tenho mais problemas com isso.

Morar na NZ

O primeiro lugar foi a homestay (casa de família) onde morei com um casal neozelandês e o simpático pastor alemão deles. Homestays geralmente são mais caras porque incluem café da manhã, jantar e limpeza, além de todas as suas roupas estarem sempre lavadinhas! É a mesma experiência que você tem na sua casa no Brasil, só que com ‘pais postiços’. Muita gente vem pra cá e fica em homestay por um mês até encontrar um lugar mais barato.

Homestays são ótimas para treinar o inglês, aprender  sobre a cultural local e os costumes. Eu morei nessa casa de tijolinhos por dois meses e teria ficado mais tempo se não fosse pelas regrinhas chatas: banho de cinco minutos e dormir cedo. A comida foi o motivo principal por   eu ter saido. Não era muito boa e o jantar era servido às cinco da tarde.

Casa na Nova Zelândia

Minha segunda casa  era tipo uma república com duas cozinhas, lounges e banheiros feminino e masculino. Cada um tinha um espaço na geladeira (eram muitas!) e uma caixa para guardar outros alimentos. Nós tinhamos também duas máquinas de lavar, varais e secadoras para usar no inverno. Cada lagavem era quatro doláres. Eu adorei morar lá e conheci várias pessoas legais. Nós saímos quase sempre nos fins de semana, jantávamos e bebíamos juntos. A maioria dos moradores era da Ásia: Coréia, Japão e China.

O problema maior era a cozinha bagunçada. Pensava que coreanos e japoneses eram bem organizados, mas me enganei. Ninguém lavava a louça direito, tirava o lixo da cozinha ou passava um paninho nos balcões quando derramava algo. Uma moça ia duas vezes por semana fazer limpeza, mas mesmo assim te que manter limpo, né?

Casa na Nova Zelândia

Eu tive sorte de conhecer pessoas na mesma vibe que eu, mas pode ser que no futuro não seja assim. Tem muita gente que não consegue fazer amizade com os flatmates. Isso porque a intenção real de dividir uma casa não é fazer amigos, mas pagar o aluguel e ter um lugar para morar. Por isso muitos brasileiros preferem dividir apartamento entre amigos e evitar esse tipo de situação. É claro que cada caso é um caso e depende muito das pessoas da casa. Tudo é possível quando você mora fora!

Casa na Nova Zelândia

Entre novembro e março, morei em Tauranga. Eu gostei muito de morar lá. Tinha meu próprio banheiro, frigobar e micro-ondas. Eu dividia apenas a cozinha e o chuveiro com o restante dos moradores. O quarto era bem grande – o que é muito raro, pois a maioria dos locais só cabe a cama, o guarda roupa, você e com sorte as suas malas gigantes.

O lado negativo era que eu morava com uma idosa e o bisneto dela, ou seja, era uma casa de família. Apesar de eles serem legais, a casa estava quase sempre cheia de visitas. Como meu quarto era no andar debaixo, eu ouvia todas as conversas, músicas, reuniões de famílias e brigas! Eles brigavam muito e sempre rolava um climão depois.

O QUE APRENDI

{♥}  A experiência de morar com várias pessoas é legal e chata ao mesmo tempo. Às vezes você quer ter um tempo só pra você ou fazer as coisas do seu jeito e isso nem sempre é possível. No dormitório foi onde eu senti mais liberdade para criar uma rotina legal, em que eu pudesse fazer várias coisas no meu próprio tempo. Gostei tanto de lá que acabei voltando!

{♥}  É bem diferente você morar na casa de alguém, que já é dono da casa e mora lá por anos, do que dividir uma casa com pessoas na mesma situação que você.

{♥}  Flexibilidade. Nem sempre você pode controlar o que acontece onde você está morando e seus flatmates podem não mudar hábitos chatos (desorganização, fazer barulho, pegar emprestado sem pedir) quando você falar com eles sobre isso. O negócio é ter paciência.

{♥}  Me tornei mais organizada para o meu próprio bem e o do próximo (ninguém merece encontrar a cozinha/sala toda bagunçada né?). Além do mais, se você quebrar ou danificar qualquer coisa terá que pagar, então todo cuidado é bom.

{♥}  Ficar pulando de casa em casa além de ser complicado, pois sua bagagem fica cada vez maior, é caro. Você precisa pagar um depósito que é geralmente duas semanas de aluguel e uma semana adiantada tudo de uma vez. Alguns lugares são bem caros, podendo chegar até a mil dólares.

{♥}  Se você quer vir para Auckland, saiba que o aluguel é caro e o preço continua subindo numa velocidade absurda. Tem muita gente e pouco lugar para morar. Se você estiver interessado em morar no centro da cidade, se prepare para dividir apartamento com várias pessoas. O sul de Auckland é considerado o lugar mais barato.

{♥}  O mais importante: me diverti e continuo me divertindo enquanto aprendo mais sobre pessoas e culturas diferentes.

Beijos,
Nath.

8 Comments

  1. Jade Amorim

    3 de abril de 2017 at 14:36

    Menina tá aí uma coisa completamente complicada: dividir a casa com outras pessoas.
    Particularmente eu gosto muito de morar sozinha, coisa que faço a cinco anos já, mas tenho certeza que numa situação como a sua seria impossível.
    É necessário muita coragem e desprendimento para conseguir passar por tudo isso, viu?

    Beijos!

    1. Nath

      3 de abril de 2017 at 18:05

      Às vezes até parece que eu moro sozinha pq tem dias que não esbarro com os outros moradores hahaha Eu amo ter meu próprio espaço e quero muito no futuro!

  2. Claudia Hi

    4 de abril de 2017 at 00:32

    Ficou um post completão Nat, adorei as dicas, com certeza ajudarão muitas pessoas! Talvez um dia me ajudem, quando eu for morar em outro país (será? rs)

    1. Nath

      4 de abril de 2017 at 11:24

      Obg! Eu tentei falar sobre coisas que ninguém me contou antes de eu vir pra cá haha
      Tomara que te ajudem sim!! 🙂

  3. Isa

    4 de abril de 2017 at 12:50

    menina, dividir casa, em qualquer parte do mundo, exige toda uma malemolência, né não? hehehe! adorei o post, é muito legal ver como as pessoas moram em outros lugares do mundo 🙂

    1. Nath

      6 de abril de 2017 at 10:46

      Que bom que gostou, Isa! E realmente acho que dividir casa com qualquer pessoa exige muito jogo de cintura.

  4. Camila Faria

    5 de abril de 2017 at 07:27

    Oi Nath, imagino que morar com pessoas desconhecidas seja bem complicado. O negocio é fazer o seu e esperar que todo mundo tenha a mesma vibe, né? Uma ideia também é juntar a galera legal e alugar outro espeço juntos ~ longe dos bagunceiros. Um beijo!

    1. Nath

      6 de abril de 2017 at 10:46

      Sim! Essa ideia é ótima! Mas pra mim ficou complicado, pois todo mundo quer morar num bairro diferente ou trabalha em outras partes da cidade hehe

Leave a Reply