Para ver

Lições de Estrelas Além do Tempo

Assisti Hidden Figures ou Estrelas Além do Tempo (péssima tradução, eu sei!) esse mês e o filme é maravilhoso! Desde que os primeiros teasers sairam, eu estava curiosa para assisti-lo já que vi milhares de filmes sobre o apartheid americano. Na década de 60, o computador era uma máquina enorme do tamanho de um cômodo e era preciso muitas pessoas para manuseá-lo. Quem fazia o trabalho pesado dos cálculos até então eram pessoas, ou melhor, um departamento de mulheres negras brilhantes!

A história acompanha a trajetória de Katherine, Mary e Dorothy na NASA, conhecidas como ‘computadores humanos’. O filme toca em diversas questões: segregação racial, sexismo, corrida espacial, política e guerra nuclear (eles tinham um treinamento para se proteger das bombas russas que teoricamente caíram do espaço! Dá pra imaginar tamanha paranoia?).

A mais visível é a segregação racial, época em que negros e brancos usavam banheiros, bebedouros, áreas de trabalho, utensílios de cozinha separadamente. Também não dividiam assentos nos ônibus nem frequentavam as mesmas escolas e universidades. Foi incrível assistir como essas mulheres encontraram espaço para seguir seus sonhos apesar de tudo isso. Acredito que podemos tirar lições valiosas com Estrelas Além do Tempo.

Estrelas Além do Tempo

Corra atrás dos sonhos

Katherine, Mary e Dorothy não desistiram de seus sonhos nenhuma vez. Pelo contrário, criaram oportunidades para que seus sonhos nascessem. Mary queria se tornar engenheira e, para isso, precisava de um diploma de uma universidade só de brancos. Dorothy aspirava ser supervisora do seu departamento. Ambas persistiram e resistiram toda a opressão da segregação racial, encontrando maneiras inteligentes de realizar seus sonhos.

Ser verdadeiro sempre

Todas duvidaram de si mesmas e de suas capacidades em diferentes partes do filme. É normal. O que acho mais interessante é que mesmo assim, todas viviam suas vidas de acordo com suas verdades de ‘eu consigo’ e ‘eu posso’. Isso requer muita coragem, especialmente num momento tão delicado da história. Elas eram leais à si mesmas e seus objetivos, ou melhor, aprenderam a ser leais as suas próprias capacidades e opiniões indepedente da situação e do que os outros diziam.

Quebre as regras para o bem

Katherine não podia participar das reuniões do projeto que estava trabalhando, pois não permitiam mulheres. A lei dizia que Mary não podia estudar numa escola de brancos. Dorothy não podia ir até a sessão para brancos da biblioteca, mas o livro que ela precisava estava lá. Independente de protocolos pré-estabelecidos, as coisas mudam. Leis se adaptam e se transformam. A vida é inconstância; leis, regras, e normas são repensadas para o bem comum (pelo menos, em teoria, né?).

O que quero dizer é: não é só porque alguém disse X que é verdade. O jeito X de fazer algo pode não ser o mais correto, apesar de ser o método mais usado. Se algo não faz sentido pra você, pode ser que não faça sentido mesmo e ninguém percebeu ainda, então, sem medo, vá em frente!

Estrelas Além do Tempo

Se você ainda não viu Estrelas Além do Tempo, vá correndo para o cinema e assista! Vale muito a pena. Ele é sério e leve ao mesmo tempo, bem parecido com Histórias Cruzadas (outro filme sensacional sobre o apartheid americano). Fico feliz que as histórias dessas mulheres finalmente foram contadas, pois são inspiradoras e dignas de serem exemplos para nós. Confira o trailer aqui.

Beijos,
Nath.

6 Comments

  1. Sue Lima

    24 de março de 2017 at 14:07

    Socorr eu to loucaaaaaaa por esse filme! Ainda não tive tempo s2
    me apaixonei por histórias cruzadas, um dos meus filmes favoritos (choro TODA SANTA VEZ naquele final 🙁 aff s/2), esse certeza que não vai decepcionar também.

    Bjos!
    https://www.youtube.com/watch?v=cX-t23GMPwE

    1. Nath

      24 de março de 2017 at 20:23

      Oi Sue, bem vinda! 🙂
      Vale muito a pena ver esse filme, acho que vc vai gostar muito. Eu amo histórias cruzadas tb!

      Dei uma olhada no seu canel e nossa, que cabelo maravilhoso é esse? Amei! Já me inscrevi!

  2. Jade Amorim

    26 de março de 2017 at 12:21

    Eu ainda não assisti esse filme e confesso que sempre fiquei com uma pulga atrás da orelha com ele, porque a chances deles terem romantizado todas essas questões são imensas, né?
    Uma amiga minha leu e me falou como tem um cara, homem, branco e etc que aparece como o anjo delas no filme.
    Ainda não tenho uma opinião formada, mas que bom que gostou do filme! :]

    Beijos!

    1. Nath

      29 de março de 2017 at 11:38

      Eu acho que eles não romantizaram muito não. Essa cena do cara foi colocada lá para dar um momento herói para ele, realmente. Eu li que o diretor ou alguém da produção do filme confirmou isso. Porém, o foco maior ficou nas meninas. Eu acho que o apartheid se beneficiou muito com a ajuda dos brancos, e acho que mostrar que teve gente que se preocupava com a segregação mesmo não sendo negro é algo legal. Até pq o contexto não deixava os negros avançarem muito por conta própria, né? Foi legal que esse filme mostrou negros em outra condição social e financeira, mas tem outros que mostram negros mais pobres e eles realmente não tinham ajuda de ninguém.

  3. KARINE

    1 de abril de 2017 at 14:02

    quando comecei a ler seu texto logo lembrei de ‘histórias cruzadas’ e eu amo esse filme ♥ ainda não assisti ‘estrelas além do tempo’ mas tô doida pra ver!

    1. Nath

      3 de abril de 2017 at 17:59

      Esse filme é maravilhoso também! Adoro demais!

Leave a Reply