Reflexões

Uma breve reflexão sobre 13 Reasons Why

Ontem eu maratonei a série 13 Reasons Why ou Os 13 Porquês. Estava me segurando para vê-la porque queria ler o livro primeiro. Me interessei por ele logo que saiu em 2011 e desde então fiquei com muita vontade de ler, mas até este momento ainda não terminei (anos de procastinação, né não?). A curiosidade falou mais alto e eu precisava assistir a série. Ouvi várias coisas boas e ruins, e queria fazer meu próprio julgamento.

Hannah Baker se mata e deixa sete fitas, com lado A e B, para 13 pessoas. Cada lado é um ‘motivo’ que levou Hannah a cometer suicídio. A série acompanha Clay Jensen desde o momento em que recebe as fitas até a hora de entregá-las para a próxima pessoa. Hannah sofre diversos tipos de bullying na escola até chegar num estado de profunda depressão (apesar da série não deixar a doença bem explícita). Você vai ter raivinha de praticamente todos os personagens, até do Clay em certos momentos. A série aborda diversos temas sérios: bullying, violência, machismo, assédio, estupro, invasão de privacidade, egoísmo, depressão, suicídio.

Para mim, a mensagem principal é: precisamos ser responsáveis por nossos atos. A série cria essa reflexão de ‘quem é o culpado?’ que me lembrou muito o livro Precisamos Falar sobre Kevin, de Lionel Shriver. Os próprios personagens da série tem essa discussão. Alguns se sentem culpados, outros dizem que Hannah é a única responável e eles estão certos. Mas pouquissimos se reponsabilizam pelos comportamentos questionáveis e ruins que tiveram não apenas com ela, mas com outras pessoas. Eles mentem até para si mesmos.

Eu entendo o lado de Hannah. Ela era uma adolescente com muitos problemas e não enxergava solução para eles. O entusiasmo pela vida foi se esvaindo dela até que chegou num estado de completo vazio. Hannah não sentia mais nada nem se importava com o que iria acontecer com ela. É triste, é real. Depressão é uma das doenças mais comuns do século 21, infelizmente.

Os 13 Porques

Muita gente não gostou da série por causa da abordagem do tema suicídio. Concordo que se você tem ou já teve de depressão, passe longe de 13 Reasons Why. As cenas gráficas podem ser chocantes para você. O aviso de gatilho antes dos episódios finais não é brincadeira. Maaas… Talvez por essa série ser para adolescentes e ter se tornado tão popular, essa polêmia surgiu. 13 Reasons Why é a primeira série sobre suícidio e bullying? Talvez. Sinceramente não vi muitas séries adolescentes (Gossip Girl, One Tree Hill, The OC) para saber se sim ou não. Talvez seja a primeira que ficou bastante popular, mas tem muitos filmes e livros sobre o mesmo assunto.

Toda essa comoção me faz pensar que nós temos que achar um jeito de falar sobre esse assunto tão importante. Eu não acho normal ver tantas pessoas se identificando com Hannah ou todos os depoimentos de ‘eu também quase fiz isso’ que começaram a brotar pela internet. O tanto de gente que surgiu falando que se cura depressão na igreja ou que é frescura para chamar atenção me assustou. Depressão é uma doença muito séria!

Conversando com uma amiga minha do Japão, ela me disse que suicídio é muito comum por lá. Me contou que o metro atrasava muitas vezes no mês porque alguém tinha se jogado na linha. Tem alguns lugares conhecidos por serem mais ‘apropriados’ para isso, como a Floresta Aokigahara. Perguntei para ela como é a prevenção de suicídio no país e ela disse que apesar de terem centros de apoio, muita gente finge que esse problema não existe. Ele não é divulgado na mídia. Não se pode falar sobre isso abertamente. Então, como resolver o problema?

Os 13 Porques

Sempre tento trazer coisas legais para o blog. Amo discussões polêmicas, mas prefiro deixá-las para o ambiente real e não o cibernético. Porém, essas coisas ficaram na minha cabeça depois de ver a série e as opiniões das pessoas.

Tem alguns filmes que gostaria de recomendar que me vieram à mente enquanto assistia: Um Grito de Socorro (bullying na escola), Orações para Bobby (homofobia), O Silêncio de Melinda (abuso sexual na escola), e um filme bem leve e fofinho que eu amo MUITO para você não ficar tão triste: Se Enloquecer Não se Apaixone ♥ O primeiro é mais tenso, mas os outros dois são bem leves apesar de tristes. O último é bem divertido e emocionante, super recomendo. Todos já passaram na sessão tarde em algum momento da vida, aliás.

Beijos,
Nath.

 

2 Comments

  1. Geek

    24 de abril de 2017 at 05:13

    Acredito que tem vários assuntos fortes que a série trata e que precisem ser discutidos.. Acredito que a maior mensagem é ter empatia porque você nunca sabe pelo que o outro está passando e como suas ações repercutem na vida de alguem… mas mesmo assim não tenho coragem de ver

    1. Nath

      28 de abril de 2017 at 19:46

      Empatia também é uma mensagem bem forte da série e bem necessária!
      Sinceramente, não assista se você acha que não vai aguentar. As cenas são bem fortes sim.

Leave a Reply